terça-feira, 30 de novembro de 2010

PUMA AIR Linhas Aéreas inaugura rota Belém-Fortaleza


Empresa chega à cidade com voos diários noturnos

Belém - A PUMA AIR Linhas Aéreas inaugurou no dia 29 de novembro (segunda-feira),a operação da rota Belém-Fortaleza. Os voos são diários e com frequência noturna, sendo atendidos pelo Boeing 737-300, com capacidade para 132 passageiros.

O primeiro voo da Companhia sairá de Belém às 19h45 (hora local), com chegada prevista às 21h35, ao Aeroporto Internacional Pinto Martins, onde a empresa será recepcionada por jatos d’água do Corpo de Bombeiros.

A convite da PUMA AIR Linhas Aéreas, representada pelo presidente da Companhia, Gleison Gambogi, e demais membros da diretoria, estarão presentes no evento autoridades políticas locais e empresariais, imprensa e convidados.

Após a cerimônia de recepção, será realizado um coquetel para convidados no Mirante do Aeroporto, que contará com show de humor, completando as atividades.

Rota Belém-Fortaleza - De Belém, o voo sai às 19h45 (hora local), com chegada prevista às 21h35, ao aeroporto de Fortaleza. Da cidade nordestina, decola às 22h05 e chega às 23h55 em Belém.

A PUMA AIR Linhas Aéreas é sediada em Belém?PA e atende os destinos de Belém (PA), Macapá (AP) e São Paulo (Guarulhos). Brevemente novos destinos brasileiros vão viver a experiência de voar PUMA AIR. Nossa grande missão é satisfazer os nossos clientes. PUMA AIR. Nosso destino é o seu sorriso.

Gol anuncia três novos voos para o Nordeste em dezembro


A Gol aumentará a oferta de voos regulares para o a Região Nordeste. As novas operações ligarão o Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) a João Pessoa e Recife, Brasília (DF) a São Luiz (MA) e Fortaleza (CE) a Juazeiro do Norte (CE).

O trecho São Paulo - João Pessoa será inaugurado em 1º de dezembro como a primeira opção sem escalas da companhia para a capital da Paraíba. O novo voo partirá de Guarulhos às 20h40 e chegará a seu destino final às 23h20. No sentido inverso, a aeronave decolará de João Pessoa à 01h20 pousando na capital paulista às 05h55.

O dia 1º de dezembro também será marcado pelo início da segunda operação direta entre Brasília e São Luís. Os voos serão diários e partirão do Distrito Federal às 23h20, chegando ao destino à 01 hora. No retorno, a aeronave sairá da Capital Maranhense às 03h50 com pouso previsto para às 07h35 no Aeroporto Juscelino Kubitschek (DF).

Já o acréscimo na oferta de voos entre Fortaleza e Juazeiro do Norte aumentará as opções de horários aos passageiros que viajam para a região. As novas operações começarão no dia 5 de dezembro com um voo aos domingos. A aeronave partirá do Rio de Janeiro às 07h50, com escala em Fortaleza às 10h, pousando em seu destino final às 11h30. Na volta, a viagem é iniciada em Juazeiro do Norte às 12h, com uma escala na capital cearense às 13h e a chegada no Estado Carioca é prevista para às 18h03.

Tam terá voo direto entre Belo Horizonte e Miami


Será inaugurada nesta quinta-feira (02/12) a nova frequencia da Tam conectando Belo Horizonte à Miami, sem escalas, operado três vezes por semana. O voo inaugural sairá da capital mineira e contará com a presença da secretária de Turismo de Minas Gerais, Érica Drumond e do governador do estado, Antônio Anastasia.

"As companhias estão percebendo que Minas é uma solução para a realização de conexões com as regiões Norte e Nordeste na malha aérea nacional e uma alternativa para os estados de Rio de Janeiro e São Paulo", explicou Érica.

A secretária falou ainda sobre os investimentos do estado no mercado internacional, especialmente no americano, que hoje representa aproximandamente 30% do fluxo de turistas estrangeiros no estado. "Investimos R$ 600 mil em promoção e capacitação de agentes e operadores americanos. Além disso, apoiamos a divulgação do novo voo em diversas mídias", contou.

Veja o artigo: A força do Nordeste no setor aéreo


Fernando Nicácio da Cunha Filho*

A infraestrutura aeroportuária tem sido alvo de severas críticas de vários segmentos da sociedade brasileira, repercutindo até em reportagens na mídia internacional. A maioria das críticas foca os eventos pontuais, como a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, uma visão de curto prazo que ignora fatores técnicos, já que a escolha do Brasil para sediar esses importantes eventos esportivos já é por si própria um pré-reconhecimento da seriedade, profissionalismo e capacidade técnica para administrar as inúmeras demandas advindas dessa sazonalidade. Desqualificar o produto nacional é um velho hábito que tem resistido na mente de muitos compatriotas que alimentam a idéia de que somos inferiores às demais nações do planeta.

Muitos criticam e poucos analisam ou pontuam com conhecimento o estágio atual da infraestrutura aeroportuária. É até possível que quando os olhares do mundo estiverem focados no Brasil, os arautos do caos sequer sejam lembrados e as previsões pessimistas sobre o sucesso dos eventos sequer voltem à pauta. É essa liberdade que queremos da democracia, melhor regime do mundo, mas do qual muitos se aproveitam para falar inconseqüências e obter seus 15 segundos de fama.

Entretanto, à medida que o tempo avança, vozes técnicas, embora ainda com menos decibéis, mas com clareza e intensidade crescentes, começam a ser ouvidas. O setor aéreo já pondera o que sempre esteve no cenário: a infraestrutura existente nos aeroportos ainda pode atender com qualidade e segurança a demanda de curto prazo, bastando para isso que haja uma revisão na distribuição da malha aérea, utilizando horários ociosos em quase todos os aeroportos brasileiros, principalmente os localizados na região Nordeste, responsável até o mês de outubro por quase 22,2 milhões de passageiros, ou seja, 17,32% dos 132,4 milhões de passageiros atendidos nos 67 aeroportos administrados pela Infraero.

Salvador, Recife, Fortaleza, Natal e Maceió despontam como destinos preferidos, tanto para viajantes que buscam lazer, quanto os que aportam nas terras das águas mornas em busca de oportunidades de negócios.

Há muito trabalho e investimentos. A infraestrutura aeroportuária precisa e vai melhorar para atender e acompanhar o crescimento econômico do Brasil. Para o Nordeste, em seus principais aeroportos, existe um planejamento de investir mais de R$ 1 bilhão em obras de ampliação, aparelhamento, modernização e construção de novos terminais de passageiros, nos próximos cinco anos, muitas já contratadas e em execução. Projetos em diferentes fases estão em andamento e logo estarão prontos para serem licitados.

O Nordeste é uma região cheia de potencialidades e oportunidades de crescimento, cada vez mais reconhecida e em condições de receber mais voos, desafogando as rotas tradicionais para criar novas oportunidades de chegadas às capitais, já que atualmente a região vivencia uma concentração de voos, chegadas e partidas, predominantemente durante a madrugada, o que em algumas capitais dificulta o deslocamento até o destino final do passageiro.

Críticas serão sempre bem-vindas e são excelentes oportunidades para se conhecer o pensamento dos usuários dos serviços aeroportuários, além de balizadoras das melhorias que podem ser implementadas, mas sempre é bom considerar cada aeroporto como uma pequena cidade, onde muitos se esforçam e se completam na prestação de serviços ao público final. Identificar cada ator desse cenário, não é uma obrigação do usuário, mas um exercício de isenção e justiça na tentativa de responsabilizar o agente certo e aí sim, buscar cessar os efeitos indesejáveis, agindo na causa.

*Fernando Nicácio da Cunha Filho é Superintendente Regional da Infraero Nordeste

Noar inicia nova frequencia em Maceió


A Noar, que já opera em Maceió desde junho, iniciou mais duas operações em Alagoas. Agora, a cidade receberá mais um voo diário da companhia vindo de Recife, que contabilizam cinco voos diários Recife-Maceió, e um voo de Paulo Afonso.

O voo de Recife sai da capital pernambucana às 9h com chegada prevista em Maceió às 9h50. À tarde, o avião decola de Alagoas às 13h15 e aterrissa no Recife, às 14h05.

Além dessa nova operação, a Noar incluiu também em suas paradas, no dia 29 de novembro, a cidade de Paulo Afonso que também faz escala em Maceió. O voo para Paulo Afonso sai às 9h da capital pernambucana, faz escala em Maceió às 9h50 e chega às 11h20 na cidade baiana.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Reunião discute alteração na pista do aeroporto em Florianópolis para receber voos fretados

Técnicos da Infraero e Anac reúnem-se nesta segunda-feira.

Uma reunião que envolve técnicos da Infraero, estatal que administra boa parte dos aeroportos do país, e da Agência Nacional de Aviação Comercial (Anac) discute nesta segunda-feira a alteração do uso de 600 metros da velha pista do aeroporto de Florianópolis. A maioria dos voos fretados (charter) depende desta mudança para conseguir pousar em Florianópolis até março.

Com o aumento da demanda e novas companhias operando, o aeroporto apresenta lotação de aeronaves "pernoitando" nas áreas de estacionamento, segundo Alexandre da Silva, gerente da World Service, que representa sete companhias da Argentina, do Chile e do Uruguai. O coordenador da Central de Operações do aeroporto, Aílton Machado, confirma a lotação.

A existência de vagas nos pátios dos aeroportos é pré-requisito para que sejam autorizados pousos nas pistas. As aeronaves que pernoitam no aeroporto Hercílio Luz entre as 23h e as 6h impedem a chegada de voos charter neste período.

Atualmente, a maioria dos voos fretados utiliza este horário, segundo Silva, porque a disponibilidade durante o dia é muito escassa — quase todos os horários estão preenchidos com aeronaves em voos regulares.

O problema da lotação nos pátios do aeroporto não é uma novidade. Segundo o gerente da World Service, nas últimas temporadas de verão, foi necessário utilizar a pista menor do Hercílio Luz para estacionar aeronaves e abrir vagas no pátio principal e secundário. A ideia da Infraero é repetir o procedimento neste ano, mas isso ainda depende do aval da Anac.

A agência intensificou as exigências este ano, solicitando um estudo e um plano mais detalhados da Infraero. Exigiu também que todas as empresas aéreas que operam no aeroporto da Capital sejam consultadas e concordem com a alteração na função da velha pista.

— Eles também pediram que fosse detalhado como as aeronaves serão deslocadas — afirma Machado.

Primeiro voo dia 8

A previsão inicial da Infraero para alterar a finalidade da pista menor era para o período de 15 de dezembro até 15 de março. Mas a procura antecipada pelos voos fretados, especialmente de grupos chilenos, está alterando esta previsão. O primeiro voo programado para a madrugada está agendado para o dia 8 de dezembro.

A expectativa do superintendente em exercício do aeroporto, Marcos Elias Bringhenti, é que a Anac dê uma resposta para o problema nesta semana. O processo para a liberação da pista secundária como estacionamento de aeronaves está "bem adiantado", na avaliação de Bringhenti. Após a aprovação da Anac, a Infraero calcula que levará sete dias para mudar a pintura e a iluminação de parte da pista menor.

— Ela (velha pista) ainda é utilizada para pousos e decolagens, especialmente de voos regionais e operações militares. Mas como a demanda é muito baixa, a pista principal poderá absorver este movimento sem problemas — calcula Bringhenti.

Atraso no projeto de ampliação

O uso de parte da pista secundária do Aeroporto Hercílio Luz como estacionamento para as aeronaves que pernoitam no local é uma solução emergencial. A resolução adequada para o problema passa pelo projeto de ampliação do aeroporto.

O projeto de engenharia da obra, previsto para agosto, deve ter a sua versão final entregue até o final do ano – sem alterar a conclusão das obras, prevista para 2014.

O projeto executivo da obra está evoluindo paralelamente à finalização do projeto de engenharia, segundo Marcos Elias Bringhenti, superintendente em exercício do aeroporto.

— Continuamos trabalhando com a previsão de que as licitações saiam em 2011. As obras também devem começar no próximo ano — acredita.

A assessoria de imprensa do aeroporto informa que os projetos executivos de infraestrutura foram entregues pela empresa Engevix S.A. no prazo estabelecido para a análise da Infraero. Técnicos da estatal analisaram os projetos e solicitaram adequações para a empresa contratada, o que deverá ser feito até o final do ano.

Os projetos executivos para o novo terminal de passageiros têm prazo de entrega até junho de 2011. Datado de 2004, o projeto de ampliação do aeroporto prevê que o terminal passe a ter 35,8 mil metros quadrados – um tamanho quase quatro vezes maior do que o atual — com um pátio para até 12 aeronaves estacionadas.

O problema, na opinião do presidente da Santur, Cimélio Pereira, é que ele foi projetado para uma certa demanda que já foi ultrapassada.

— SC merece um aeroporto moderno para atender a demanda de clientes da economia do turismo, que hoje é outra. O problema não é a estrutura para a Copa e as Olimpíadas, mas para 2011 — avalia.

Navegantes é a alternativa

O Aeroporto Hercílio Luz é a grande porta de entrada dos voos fretados de países da América Latina. Entre janeiro e março deste ano, 232 dos 273 voos fretados que pousaram no aeroporto eram internacionais.

O segundo aeroporto catarinense com o maior número de voos charter, o de Navegantes, recebeu voos fretados apenas de dentro do país no mesmo período. O de Joinville foi utilizado por somente um voo fretado, de origem doméstica, em janeiro.

— O aeroporto de Navegantes é uma opção, ainda que com restrições — avalia o gerente da World Service.

O pouso de aviões fretados em Navegantes não poderá ser feito nas madrugadas até o dia 29 de dezembro. Isso porque a pista de pouso está fechada para reformas das 21h30min às 6h. A previsão de conclusão da obra é o final de dezembro.

— Até o momento, não fomos procurados para o pouso de charter. Estamos em contato com Florianópolis para, em caso de necessidade, entrarmos como opção — diz Marco Zenni, superintendente de Navegantes.

domingo, 28 de novembro de 2010

Passageiros ficam 4 horas presos em avião

Nove voos da Gol Linhas Aéreas e cinco da TAM foram cancelados

Passageiros do voo para Fortaleza ficaram irritados com o tratamento recebido

Passageiros do voo MY 3511 da TAM, que partia do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, com destino a Fortaleza, viveram pelo menos quatro horas de apreensão dentro da aeronave. Segundo os passageiros, após atrasar o embarque, a companhia aérea obrigou todos a descer alegando que a tripulação estava incompleta. Só neste sábado, a TAM cancelou outros cincos voos com escala em Guarulhos. Nenhum funcionário da empresa aérea foi localizado.

Balanço da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) aponta que nove voos da Gol Linhas Aéreas e cinco da TAM foram cancelados. De acordo com a assessoria de imprensa da Gol, estes cancelamentos foram programados e, os clientes, avisados com antecedência.

Segundo a Infraero, mesmo com o atraso no voo MY 3511 e o cancelamento dos outros não houve aglomerações nos balcões de embarque. Os passageiros com destino a Fortaleza embarcaram logo depois de descer do primeiro avião. O atraso, segundo a Infraero, foi de três horas.

sábado, 27 de novembro de 2010

Webjet tem tarifas a partir de R$ 49 no final de semana


Neste fim de semana, 27 e 28 de novembro, a Webjet oferece passagens a partir de R$ 49, para voar de 1° a 31 de dezembro de 2010, em oito trechos da sua malha aérea.

Esses preços referem-se a um trecho, sendo obrigatória a compra de ida e volta. Além disso, estão sujeitos a disponibilidade de assentos nas aeronaves. Outras informações em http://www.webjet.com.br.

Para Gol, lazer e corporativo vão se igualar em 2014

No início deste século 90% do público que viajava de avião era formado pelo público corporativo. Em 2010 esse índice caiu para 60% e a expectativa para 2014 é que o turista de lazer e o corporativo dividam esta fatia em 50% cada. Os números são de Eduardo Bernardes, diretor Comercial da Gol e estão sendo levados em conta a estabilidade da economia nacional e o surgimento da nova Classe C.

Para o dirigente, a procura maior pelo turista de lazer é uma tendência mundial. Como exemplo ele cita os Estados Unidos, país onde 70% dos viajantes são norte-americanos de férias.

"Me arrisco a dizer que em 2014 esta fatia se iguala. Eu não tenho dúvida alguma que mais cedo ou mais tarde isso irá acontecer. O Brasil vive há 12 anos uma estabilidade econômica. Caso não aconteça nada de errado com a economia nacional essa tendência certamente irá ocorrer", aposta Eduardo.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Tam inicia voo diário para Bogotá em 19 de dezembro

A Tam Linhas Aéreas iniciará voo diário entre São Paulo e Bogotá, na Colômbia, no próximo dia 19 de dezembro. A operação terá uma aeronave A320, configurada em duas classes de serviço. Em junho, a companhia havia recebido a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para iniciar a frequência.

"Bogotá é o último grande mercado da América do Sul onde não atuávamos e tem importância estratégica para a Tam: é uma metrópole com a economia baseada na indústria, no comércio, nos serviços financeiros e empresariais, além de possuir uma ampla oferta cultural e turística", explica Paulo Castello Branco, vice-presidente Comercial e de Planejamento da Tam.

Na ida o voo sai às 12h40 de São Paulo, chegando às 15h40 em Bogotá. Já na volta, a saída é às 23 horas de Bogotá com chegada às 7h45 na capital paulista. Na alta temporada as tarifas saem a partir de US$ 735 e na baixa a partir de US$ 669.

Desembarques internacionais batem recorde em outubro

De acordo com dados divulgados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o mês de outubro deste ano registrou o maior número de desembarques internacionais de toda a série histórica. Foram 720.494 pessoas que chegaram ao Brasil em voos vindos do exterior.
O número de chegadas de turistas no mês de outubro é 21,85% superior ao mesmo período de 2009, quando o Brasil recebeu 591.311 passageiros. Já o acumulado dos dez primeiros meses de 2010 é 21,67% maior que os mesmos meses de 2009.
Entre os meses de janeiro e outubro de 2010, o Brasil recebeu 6,52 milhões de desembarques, número que já superou o total de chegadas internacionais no País em todo o ano de 2009 (6,51 milhões).
"Analisando os dados obtidos até outubro, estimamos um número superior a 7,7 milhões em desembarques internacionais no Brasil em 2010, superando em 1 milhão o ano de 2005, quando recebemos 6,7 milhões", disse o diretor de Estudos e Pesquisas da Embratur, José Francisco de Sales Lopes.
Os dados levam em conta estrangeiros que entram no Brasil e brasileiros em retorno ao país.

Gol prevê que mercado brasileiro cresça 15%

A expectativa de crescimento do PIB é de 5%. Partindo dessa premissa, a Gol espera que o mercado brasileiro aumente três vezes o PIB do Brasil. Em relação a Gol esse crescimento será puxado pelo turismo de lazer e também pelo turismo corporativo. Para a Gol, o dólar continuará baixo e as tarifa média dos bilhetes continuará caindo. "As companhias aéreas terão que se desdobrar para conseguir atender a demanda", brinca Eduardo Bernardes. Somente no primeiro semestre do ano a Gol cresceu 14% em relação ao tráfego de passageiros. Segundo Bernardes, a empresa aérea mantém a liderança de frequências nos principais "aeroportos corporativos" do país: Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Curitiba e Porto Alegre. "Conseguimos isso devido a compra da Varig", admite.

Reforma do Augusto Severo adiada


O Aeroporto Internacional Augusto Severo passará por mais uma alta estação sem as tão aguardadas modificações em sua estrutura física. Prevista para o final deste ano, a reforma foi transferida para o primeiro trimestre de 2011, por entraves no processo de licitação, que fez com que a abertura das propostas fosse adiada para o próximo dia 20 de dezembro. Apesar disso, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) considera que o Augusto Severo está preparado para o aumento da demanda que ocorre no final do ano.

A obra provocará mudanças nas salas de embarque e desembarque, área de check-in, saguão, corredores, áreas comerciais e sistema de ar-condicionado. Para tanto, serão investidos aproximadamente R$ 20 milhões na obra.

O superintendente da Infraero no Nordeste, Fernando Nicácio, afirma que a abertura das propostas de licitação estava prevista para o dia 19 deste mês, entretanto o pedido de detalhamento provocou o adiamento para o dia 20 de dezembro. “Ainda não sabemos exatamente quando serão iniciadas as obras. Mas a reforma irá durar cerca de 10 meses”, explica.

Nicácio diz que, mesmo sem as significativas mudanças na estrutura física, foram desenvolvidas várias ações para a melhoria do aeroporto, ao longo de 2010. Ele destaca pequenas ampliações na sala de embarque, que incorporou duas áreas destinadas a atividades comerciais, para dar mais conforto aos usuários.

Em relação aos frequentes contratempos ocasionados pelo mal funcionamento dos elevadores panorâmicos e escadas rolantes, Fernando Nicácio conta terem sido iniciados dois processos relativos à recuperação dos equipamentos. “Infelizmente, deram deserta, mas atualmente estamos com um novo processo em curso, em caráter emergencial. Assim, não há uma previsão de quando estarão funcionando plenamente. Já as duas escadas rolantes estão operando perfeitamente”, afirma.

Capacidade

O Aeroporto Augusto Severo tem hoje capacidade para receber 2,1 milhões de passageiros por ano. Após a ampliação, a expectativa é de que o terminal poderá receber 2,8 milhões de passageiros anualmente. Em 2009, o volume de passageiros que embarcaram e desembarcam no terminal chegou a 1,8 milhão e a previsão é de que o movimento supere os 2 milhões em 2010.

Adiamento é prejudicial ao setor

Para representantes de órgãos ligados à atividade turística potiguar, o adiamento no início da reforma do Aeroporto Internacional Augusto Severo é prejudicial para o setor, pelo terminal ser a principal porta de entrada de turistas no Rio Grande do Norte. Além disso, demonstra a falta de agilidade da Infraero, pelo fato de ser uma estatal e necessitar seguir uma série de trâmites burocráticos.

O presidente do Natal Convention & Visitors Bureau e diretor da Luck Receptivo, George Costa, defende que a Infraero não seja mais responsável por gerir os aeroportos brasileiros, já que a estatal não tem sido capaz de acompanhar as mudanças do setor. “Só aqui em Natal serão mais de dois milhões de passageiros este ano, com cada um pagando R$ 20 de taxa de embarque, dando mais de R$ 40 milhões. É inadmissível que esse valor não seja reinvestido na melhoria do aeroporto”, enfatiza.

Para o vice-presidente da representação norte-riograndense da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH RN), George Gosson, a situação do Augusto Severo é muito preocupante, porque ele continuará a ser a principal porta de entrada do estado até a conclusão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, o que deve demorar cerca de três anos. “Quando a reforma vai ficar ponta? Se for depois da conclusão do outro aeroporto, não fará mais sentido algum”, questiona.

Infraero busca tranquilidade no fim do ano

A Infraero afirma que vem buscando maneiras de garantir um final de ano com bastante tranquilidade nos aeroportos do país. De acordo com Nicácio, os usuários não precisam temer um novo caos aéreo durante a próxima alta estação, uma vez que foi montado um plano nacional de contingenciamento, em uma reunião realizada na segunda-feira passada, no Rio de Janeiro.

O encontro reuniu representantes da Infraero, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Polícia Federal, Receita Federal, Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), e empresas aéreas. “Estamos certos de que cada um irá cumprir seu papel durante a alta temporada e não haverá grandes contratempos, como atrasos significativos de voos”, afirma o superintendente da Infraero Nordeste.

Especificamente no Augusto Severo, foram desenvolvidas estratégias para lidar com possíveis contratempos, como quebra de esteiras de bagagem e necessidade de aeronaves desembarcar remotamente. Também foi aumentado o efetivo de funcionários. “Dessa forma, será mais fácil inclusive para os passageiros conseguirem informações”, destaca Nicácio.

TRIP Linhas Aéreas vai conectar diretamente Belém a Salvador


BELÉM - A TRIP Linhas Aéreas, maior companhia de aviação regional da América do Sul passará a conectar diretamente as cidades de Belém (PA) e Salvador (BA) a partir do dia 22 de novembro. O trecho será operado pelo Jato Embraer 175, com capacidade para 86 lugares e ligará as capitais em apenas 3h30.

O novo voo terá saída de Belém às 2h56 e chegada a Salvador às 5h26 e saída de Salvador às 23h55, com chegada a Belém às 2h30. ‘Belém e Salvador são importantes capitais das regiões Norte e Nordeste para o turismo e para os negócios e acreditamos que a ligação rápida entre essas cidades irá fomentar ainda mais os negócios entres estas duas cidades’, explica o diretor de Marketing e Vendas da TRIP Linhas Aéreas, Evaristo Mascarenhas.

Para o voo, a TRIP disponibilizará o Jato Embraer 175, considerada uma das aeronaves mais modernas e confortáveis do mercado, pois possui maior espaçamento entre os bancos e autonomia para percorrer até 3.704 km (2.000 milhas náuticas) sem escalas. ‘A aeronave que irá conectar as duas cidades é de última geração porque acreditamos muito no sucesso dessa rota’, aposta Mascarenhas.

A TRIP vem ampliando sua malha aérea pelo Norte e Nordeste. Atualmente, a empresa oferece ligações para mais de 20 cidades a partir de Belém, entre elas, Manaus, Brasília, Rio de Janeiro, Uberaba e Vitória e, no interior do Estado, Altamira, Carajás e Tucuruí. ‘Nós comemoramos o sucesso das operações em Belém com a criação de mais uma rota para a cidade, que tem apresentado grande demanda por novas interligações’, avalia Mascarenhas.

Com a nova rota e conexões, será possível sair de Belém e chegar aos outros destinos atendidos pela TRIP Linhas Aéreas nas demais regiões do País.

As passagens dos novos voos podem ser adquiridas nas agências de viagens credenciadas, pelo portal www.voetrip.com.br, nos aeroportos ou na Central de Vendas 0300 789 8747 ou 3003 8747 (regiões metropolitanas).

CONFIRA AS ROTAS BELÉM (Horário Local)

Belém – 2h56, chegada a Salvador – 5h26

Salvador – 23h55, chegada a Belém – 2h30

As passagens serão vendidas a partir de R$ 199,90

Manaus – 23h25, chegada a Belém 2h25

Belém – 2h56, chegada Salvador 5h26

Salvador – 5h58, chegada em Belo Horizonte 8h25

As passagens Manaus – Belo Horizonte serão vendidas a partir de R$ 199,90

Sobre a TRIP Linhas Aéreas (www.voetrip.com.br)

Com mais de 12 anos de atividade no Brasil, a TRIP é hoje a maior companhia aérea regional do País e também da América do Sul por atender o maior número de cidades e contar com a maior frota de aeronaves regionais.

É controlada pelos Grupos Caprioli e Águia Branca, ambos com tradição em transporte de passageiros e um histórico de resultados sólidos e crescimento sustentado.

A TRIP tem como um de seus investidores a norte-americana Skywest Inc., maior empresa de transporte aéreo regional do mundo, com 696 aeronaves, que adquiriu 20% de participação no capital da companhia.

Com um faturamento bruto em 2009 de R$ 450 milhões, a empresa gera 2,4 mil empregos diretos, conta com 40 aeronaves e opera em 81 cidades em todo o País.

LAN comemora ocupação e promove atrativos da rota entre Brasília e Peru


Desde 1º de agosto a LAN ampliou a sua oferta de voos. Antes, a única ligação direta do Brasil com o Peru era através de voos de São Paulo para Lima. Agora, os brasileiros têm a opção de sair de Brasília e podem escolher entre cinco alternativas semanais: segunda, quarta, quinta, sexta-feira e sábados. Para comemorar a ocupação, a companhia realiza nesse momento um press trip que passa por Lima, Cusco (ou Cuzco, no espanhol) e Macho Picchu. O Mercado & Eventos está entre os veículos convidados e faz a cobertura completa do passeio.

Após aproximadamente quatro horas e meia de voo, partindo de Brasília, é possível chegar a Lima. Com mais 50 minutos de voo, estamos em Cusco – cidade com uma paisagem natural fantástica. Situada no sudeste do Vale de Huatanay ou Vale Sagrado dos Incas, na região dos Andes, ela conta com a população de mais de 300 mil habitantes.

A cidade muito alta, com cerca de 3.400 metros de altitude, o que pode gerar algum mal estar, como enjoo, dor de cabeça ou tontura. Mas tudo pode ser resolvido com a ingestão de "cápsulas contra el mal de altura", vendidas em qualquer farmácia da região.

Cusco é intensa em todos os aspectos. Atualmente vai além da simples ideia de um destino de sítios arqueológicos, passando também a ser conhecida como um império cosmopolita. Os turistas encontram ruínas, mas também templos, igrejas, museus, artesanatos e mercados populares.

Os "cusquinhos" têm apostando também na arquitetura da cidade. Antes parada obrigatória para os que vão até Macho Picchu, Cusco modificou-se. Agora, há um leque de hotéis de luxo, como Sonesta Hotel, clubes noturnos, além de vida cultural animada. Em alguns restaurantes, como o Tenupa, é possível saborear os pratos típicos ao som de música e danças típicas.

O nome original da cidade era Qosq'o em Quechua, que significa o umbigo do mundo. É chamada a cidade imperial dos incas. As ruas principais de Cusco contêm restos de paredes incas. A cidade foi praticamente destruída pelos conquistadores espanhóis que construíram suas casas sobre os muros de pedras incas, construindo os monumentos que ali se encontram.

Koricancha, o Templo do Sol, é um dos recantos mais sagrados para os incas. Seus muros de pedra finamente polida serviram como alicerce para a construção do Convento de Santo Domingo.

A Praça das Armas, antes conhecida como Wajaypata, nos tempos incas, foi o centro de muitas celebrações e se mantém até hoje como o ponto central de reuniões. Nela, está localizada a Cadetral del Cusco, que infelizmente não pode ser registrada por fotos.

Em estilo predominantemente barroco, o interior da Catedral del Cusco é de uma riqueza fenomenal, apresentando pinturas e objetos de arte com uma inusitada influência inca - como a curiosa "A última Ceia", de Marcos Zapata. Muitas obras chamam a atenção - o altar de prata, os quadros de todos os arcebispos da sacristia, a hipnotizante pintura de Cusco sob o terremoto ocorrido em 1650 e o idolatrado El Senhor de los Tembiores (0 Senhor dos Terremotos), um Cristo negro, devido às velas que eram acendidas junto a ele e a gordura das sálvias, a quem a religiosa população peruana venera como o guardião dos terremotos, pestes e epidemias.

Aeroporto Internacional de Cabo Frio recebe voo do Antonov com helicóptero a bordo

O maior avião cargueiro do mundo, o Antonov 124, da companhia russa Volga Dnepr, pousará no dia 25 de novembro (quinta-feira), às 9 horas, no Aeroporto Internacional de Cabo Frio, proveniente da Escócia, trazendo a bordo um Helicóptero de grande porte, modelo HC 225. O aparelho pertence à empresa BHS e será usado no transporte de pessoal e equipamentos entre Cabo Frio e as plataformas da Bacia de Campos.

O Aeroporto de Cabo Frio, que se tornou uma importante base de importação para a indústria petrolífera de Campos, graças à sua localização estratégica e às suas grandes áreas de alfândega e armazenamento, é o único aeroporto público brasileiro administrado pela iniciativa privada com voos internacionais regulares de carga e de passageiros.

O Aeroporto de Cabo Frio conta com um pátio para aeronaves de 30.400 metros quadrados, além de 60 mil metros quadrados de área alfandegada e um galpão coberto de 16 mil metros quadrados. Está estrategicamente localizado a apenas 60 Km de Macaé, onde se concentra a indústria do petróleo; e a 140 Km do Rio, 550 Km de São Paulo, 530 Km de Belo Horizonte e 400 Km de Vitória.

Sua pista tem 2.560 metros de comprimento por 45 metros de largura – maior do que a do Santos Dumont e a de Congonhas –, o que tem permitido que os maiores aviões de carga do mundo operem com segurança em Cabo Frio, como o Antonov 124, o Boeing 747 “nose door” (Jumbo), os Beoings 777 e 767, o MD-11, o DC-10 e o DC-8 (fotos no site [www.aeroportocabofrio.com.br].

Graças ao seu entreposto alfandegário e à sua grande área de armazenagem, o aeroporto consolidou-se como base para a importação de equipamentos destinados à indústria petrolífera de Campos, sediada em Macaé. Mais de 80 empresas, a grande maioria de multinacionais, fornecedoras das companhias petrolíferas que prospectam e produzem petróleo em Campos, utilizam o aeroporto com esse propósito.

BHS e Aeróleo, empresas de transporte aéreo por helicóptero, montaram bases no aeroporto para o transporte de equipamentos e pessoal da Petrobrás, da OGX e da Maersk Oil, realizando mais de 30 voos diários para as plataformas da Bacia de Campos.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

PLUNA inaugura voo inédito entre Campinas e Montevidéu


A cidade de Campinas (SP) acaba de ganhar o primeiro voo direto internacional para destinos da América do Sul. A Pluna, linhas aéreas uruguaias, estreia seis voos semanais para Montevidéu (Uruguai) com opção de conexões em Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile) e em todos os destinos da empresa na região.

“Esse é mais um movimento importante da Pluna para contribuir com a regionalização do setor aéreo brasileiro. A região de Campinas é uma das mais desenvolvidas do País e necessitava de uma conexão internacional para as principais capitais da América do Sul”, afirma o diretor Comercial da Pluna no Brasil, Gonzalo Mazzaferro.

Atualmente, a região de Campinas integra uma das dez com maior emissão de bilhetes da Pluna, antes mesmo do início da operação da companhia aérea no Aeroporto de Viracopos. “Com a nova rota, a meta é fechar o primeiro ano de atividades com ocupação de 70%”, destaca Mazzaferro.

As novas frequências de voos entram em vigor a partir de 20 de dezembro com seis saídas semanais (exceto aos domingos).

Dilma quer mudanças na Infraero

A presidente eleita, Dilma Rousseff, determinou como uma de suas prioridades mudanças profundas em três empresas públicas que ela considera "focos de problemas" para sua gestão.

Dilma quer mudanças profundas em Infraero, Correios e Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Para isso, deverá atuar pessoalmente na indicação de nomes técnicos para esses órgãos.

Sua prioridade é a Infraero. Ela reclama da gestão na empresa desde o início da campanha, sobretudo pela proximidade da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas de 2016.

Os Correios também são foco de atenção. Desavenças internas têm feito da estatal centro de eclosão de escândalos --como as denúncias do mensalão, em 2005, e as que derrubaram a Erenice Guerra (ex-Casa Civil). Dilma não descarta deixar a estatal com partidos aliados.

A petista quer ainda mudanças no Dnit, órgão considerado estratégico para o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

No governo, o departamento, ligado à pasta dos Transportes, é chamado de "mina de ouro", pela quantidade de recursos e obras que administra, e foi atingido recentemente por denúncias de corrupção.

Rota GUARULHOS-RECIFE foi a mais lotada do Brasil

Recife (Praia de Boa Viagem)

Os voos da rota aérea Guarulhos-Recife foram considerados os mais lotados que decolaram no Brasil em 2009. De acordo com o Anuário do Transporte Aéreo, publicado, em novembro, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a taxa de ocupação dessa rota, no ano passado, foi de 78%.

O índice passa a frente – seguindo a posição das taxas ocupação – das rotas Guarulhos-Salvador (75%), Galeão-Salvador (72%), Galeão-Brasília (67%) e Congonhas-Brasília (64%), por exemplo. A rota Guarulhos-Recife também está à frente da ponte aérea Rio de Janeiro-São Paulo, a mais concorrida pelas companhias, como Congonhas-Santos Dumont e Guarulhos-Galeão, ambos com 58% de ocupação.

“De forma geral, a origem do turista brasileiro para o Recife é distribuída em todo o mercado nacional. Entretanto, os paulistas são os que mais desembarcam na cidade, seguido dos cariocas, baianos e cearenses, por exemplo”, afirma o secretário de Turismo da Prefeitura do Recife, Samuel Oliveira.

Segundo dados oficiais apontados em pesquisas da CTI-NE e Empetur, Recife é líder no setor em Pernambuco. Dos turistas brasileiros vindos em voos nacionais e internacionais, 54,42% escolhem o Recife como destino final.

Setor aéreo diz que não faltará passagem

Mesmo com fim do overbooking e alta da demanda em 20%, companhias garantem voos.

O Snea (Sindicato Nacional de Empresas Aeroviárias) garantiu que não faltarão passagens aéreas para o fim do ano, mesmo com a proibição do overbooking (venda de passagens acima da disponibilidade de assentos no avião) e o aumento da demanda de passageiros em 20%.

A prática de overbooking foi proibida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) entre 17 de dezembro e 3 de janeiro, para evitar o caos nos aeroportos nas festas de fim de ano.

Para Leonel Rossi, diretor da Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens), os voos fretados vão garantir mais assentos e darão conta do aumento da demanda. "A diferença para quem compra agora é o preço, mais caro, e o número menor de opções", disse ele à Folha de S.Paulo.

Segundo a Abav, que diz que a procura por viagens no fim do ano cresceu 20% em relação a 2009, já há escassez de bilhetes para Nova York, Orlando, Miami e Buenos Aires nos dias 27 e 28 de dezembro.

Pacote não evita lotações

Os esforços da Anac não conseguirão evitar o desconforto dos passageiros para embarcar neste fim de ano, segundo especialistas ouvidos pelo site iG. O motivo é que os aeroportos brasileiros receberão 3 milhões de passageiros a mais em dezembro deste ano com uma infraestrutura igual à do ano passado.

O resultado disso serão atrasos de voos, terminais lotados, falta de vagas de estacionamentos e filas para fazer check-in e pegar táxis no fim do ano.

A própria Anac admitiu que, mesmo com as novas medidas, como proibição do overbooking e contratação de pessoal pelas companhias aéreas, o índice de atrasos deve ficar em 18%, semelhante ao verificado no Natal e no fim do ano de 2009.

Lan terá voo para Foz do Iguaçu a partir de janeiro

A Lan Peru vai voar de Lima para Foz do Iguaçu a partir de 16 de janeiro, com quatro freqüências semanais. Esta nova rota vai ligar o extremo oeste do Paraná com toda malha aérea da Lan em Lima. Segundo explicou João Araújo, gerente da Lan, este novo voo tem como principal objetivo explorar todo potencial turístico de Foz do Iguaçu.

"Lógico que Foz atende também ao turismo de negócios, mas o grande forte lá é o lazer e vamos explorar esse nicho. Temos operações para Cuzco e Ilha de Páscoa, que são dois destinos naturais muito procurados por turistas norte-americanos e europeus. Com esta nova ligação vamos atender também às Cataratas do Iguaçu, dando mais opção de lazer ao turista", acredita Araújo.

O gerente da Lan fez um rápido balanço da companhia aérea neste ano. Para ele, foi um ano de retomada depois da crise econômica e gripe H1N1: "Foi um ano excelente. Iniciamos em agosto nosso voo de Brasília para Lima com quatro freqüências e em janeiro passa para seis. Iniciamos nossa rota para São Francisco a partir de São Paulo com uma rápida parada em Lima, sem necessidade da troca de aeronave. Além do mais, recuperamos o fluxo de turistas na temporada de neve", destacou.

Puma Air Linhas Aéreas inicia novo voo Belém-Fortaleza

A Puma Air Linhas Aéreas inicia na próxima segunda-feira (29/11), a operação da rota Belém-Fortaleza. Os voos são diários e com frequência noturna, feitos por um Boeing 737-300, com capacidade para 132 passageiros. De Belém, o voo sai às 19h45, com chegada prevista às 21h35, ao aeroporto de Fortaleza. Da cidade nordestina, decola às 22h05 e chega às 23h55 em Belém.
Para o presidente da Puma Air Linhas Aéreas, Gleison Gambogi, a opção por voos noturnos visa garantir aos passageiros maior aproveitamento nas viagens de lazer ou negócios. "A nova rota reafirma o nosso compromisso de contribuir para a integração entre as regiões brasileiras e oferecer aos nossos usuários cada vez mais opções de destinos, com conforto e segurança", disse o presidente da Puma Air Linhas Aéreas.


TAP repõe horários dos voos de longo curso

Operação será normalizada a partir de hoje

A TAP já está a repor os horários de voos e conta que a partir de hoje já terá normalizada toda a operação no Aeroporto de Lisboa, informou ao PressTUR o Gabinete de Comunicação da transportadora.
A companhia teve na madrugada de hoje um conjunto de voos de longo curso a chegarem e a partirem fora dos horários habituais (clique para ler: Aviões voltam a descolar hoje de Lisboa e já aterraram 12 voos).
Apesar desses voos “extraordinários”, com os quais pode transportar passageiros que tiveram as ligações canceladas pela greve geral de dia 24, a TAP já de manhã começou a repor horários.
Às 09h19 partiu o voo para Caracas (TP2135), às 10h17 saiu um voo para o Rio de Janeiro (TP187) e às 11h24 saiu o TP4199 para São Paulo – Viracopos.
Para a tarde estão previstos os voos para Recife (TP153), às 16h30, Fortaleza (TP165), às 16h35, Joanesburgo e Maputo (TP279), às 18h05.
Durante a madrugada saíram voos intercontinentais da TAP para Recife e Salvador, Brasília, São Paulo, Luanda, Bissau, Dakar, Sal e Fortaleza.

Trip estima aumento de fluxo para região Norte do país

A ampliação da frequência de voos da Trip, principalmente com a rota direta Salvador-Belém, coincide com a aproximação do Verão 2010/2011. Segundo o diretor de Marketing da empresa, Evaristo Mascarenhas de Paula, as perspectivas de aumento do fluxo turístico para a região Norte do país nesta temporada são muito boas.

A primeira rota que ligará Salvador a Belém, sem escalas, traz ainda boas perspectivas para as viagens de turismo e de negócios na região. No plano econômico, a viabilidade dos novos voos da Trip para a região Norte se justifica com a perspectiva da futura Hidrelétrica Belo Monte, que está sendo construída em Altamira.

Gol e Noar passam a oferecer Mossoró (RN) como destino


A Gol acaba de iniciar a venda de passagens para Mossoró (RN), em operação conjunta com a NOAR Linhas Aéreas, empresa brasileira de aviação regional. O acordo entre as companhias já contempla voos entre Recife e Caruaru; Recife e Aracaju, com escala em Maceió; Recife e Natal, com escala em João Pessoa; e, nos finais de semana, voos para Aracaju, com escala em Maceió. A partir da próxima terça-feira, 30, passará a operar o trecho Natal – Mossoró.
Com a parceria, além da incorporação dos destinos de Caruaru e Mossoró à sua malha, a Gol, passou a oferecer novas ligações diretas entre destinos da região Nordeste. Os clientes provenientes de voos operados pela GOL em conexão para os voos da NOAR, poderão realizar somente um check-in e despachar sua bagagem até o destino final.
"Para a Gol, este acordo é estratégico, pois amplia a capilaridade regional de sua malha", destaca Claudia Pagnano, Vice-Presidente de Mercado da Companhia. "A incorporação de Mossoró irá potencializar a procura de viagens para Nordeste", acrescenta. Clientes Gol com destino a Mossoró tem opção de voos partindo de Guarulhos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Confins (MG) e Campinas (SP), com a escala em Natal.

Gol anuncia quatro voos para o Aeroparque, em Buenos Aires


A Gol anuncia o início de suas operações no Aeroparque Jorge Newbery, em Buenos Aires. Com o primeiro voo programado para o dia 4 de dezembro, a empresa vai oferecer três frequências diárias, sendo três voos diretos a partir de Guarulhos, em São Paulo, e um com origem no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Belo Horizonte/Confins.
"Acreditamos que os voos atenderão principalmente ao público corporativo, já que os clientes nem sempre tem tempo para se descolar entre o Aeroporto Internacional de Ezeiza e a capital, trajeto que pode levar até uma hora", destaca Claudia Pagnano, vice-presidente de Mercado da Gol.
Com a inauguração da nova base em Buenos Aires e o remanejamento de voos para o Aeroparque, a Gol passará a operar em Ezeiza com oito voos diários. "Fizemos um estudo de malha para adequar nossas operações. A partir do Aeroparque, teremos ótimas opções de horários, com voos pela manhã, início da tarde e início da noite. Os horários permitem viajantes a negócios ir e voltar no mesmo dia", afirma Leonardo Pereira, vice-presidente responsável pelo Planejamento Corporativo da Gol.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Infraero constroi terminal de desembarque provisório

Empresa gasta R$ 2,5 milhões em obra de módulo operacional, até concluir obras de reforma do terminal




Segundo a Infraero, o Módulo vai atender à demanda até a conclusão da reforma e ampliação do terminal

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) assinou, na última sexta-feira (19), a Ordem de Serviço para a implantação do Módulo Operacional do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande. A obra está prevista para ser concluída em quatro meses, contados a partir da assinatura do contrato.

Usados como solução provisória para os gargalos dos aeroportos brasileiros, a implantação do módulo operacional no Marechal Rondon é vista como essencial.

"O módulo dará suporte ao atendimento à demanda atual, até a conclusão das obras de ampliação e reforma do aeroporto", afirmou o superintendente da Infraero em Mato Grosso, Sérgio Kennedy, ao MidiaNews.

A função principal do módulo em Várzea Grande será a de funcionar como um terminal de desembarque, incluindo um isolamento termoacústico, climatização, sistema de som, sistema informativo de voo e novas esteiras de desembarque de bagagens.

A obra, que terá 675 m², terá um investimento de R$ 2,5 milhões e ampliará o movimento operacional do aeroporto de 1,65 milhão de passageiros por ano para 2,45 milhões, segundo a Infraero.

Para o superintendente, neste momento, o mais importante é que prazos sejam cumpridos, já que a demanda tem crescido a cada ano. Isso, sem contar o número de passageiros previstos para a Copa do Mundo de 2014.

"A execução da instalação será amplamente acompanhada por uma comissão fiscalizadora, de forma que todas as especificações sejam atendidas dentro do prazo", observou Kennedy.

Mundial de 2014

Além desta obra do módulo operacional, a Infraero prevê a abertura de licitação para a ampliação do embarque, adequação do sistema viário, ampliação do estacionamento, remanejamento da área administrativa e construção de pontes de desembarque. Os investimentos serão de R$ 87,5 milhões.

Atualmente, o terminal de passageiros do aeroporto tem uma área de 5.460 m²; com as obras previstas neste segundo edital, chegará a 18.550 m². A ideia, tanto da Infraero como do Governo do Estado, é que, até o final de 2012 ou ínicio de 2013, as obras estejam concluídas, para que Cuiabá possa concorrer para ser uma das sedes da Copa das Confederações, em julho de 2013.

Tam inicia acordo de codeshare com US Airways


As companhias aéreas Tam e a US Airways acabaram de firmar um acordo bilateral de codeshare que entrará em vigor em 1º de dezembro. Com isso, clientes da Tam poderão aproveitar das opções de voos internos nos Estados Unidos a partir das bases da companhia americana, em Miami, Nova York e Orlando.
Inicialmente serão ofertados os trechos (ida e volta) ente Miami e Filadélfia; Nova York e Phoenix; Orlando e Phoenix; Orlando e Filadélfia, e Orlando e Washington. Esses destinos já estão disponíveis para reserva e compra. Já os clientes da US Airways terão mais opções em território brasileiro.

"Nossa parceria com a US Airways aumentará a conectividade de nossa rede. Esse acordo proporcionará facilidade ao cliente no momento de planejar sua viagem e conforto durante todo o trajeto", afirma Paulo Castello Branco, vice-presidente Comercial e de Planejamento da Tam Linhas Aéreas.
"Estamos entusiasmados em firmar esse acordo com a Tam e oferecer novas opções a nossos passageiros", disse Andrew Nocella, vice-presidente sênior de Marketing e Planejamento da US Airways. "Um acordo de codeshare é conveniente para os clientes, que podem agora fazer reservas para seus voos diretamente na US Airways e na Tam, e realizar viagens para destinos aos quais as duas operadoras não atendem com aeronave própria."

Aeroportos receberão 3 milhões de passageiros a mais em dezembro

Como a infraestrutura é a mesma, nem pacote preventivo da Anac evitará fim de ano com terminais lotados, atrasos e filas para táxi

Os esforços da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não conseguirão evitar o desconforto dos passageiros para embarcar neste fim de ano. O motivo é que os aeroportos brasileiros receberão três milhões de passageiros a mais em dezembro deste ano com uma infraestrutura igual a do ano passado. O resultado desse aumento de passageiros sem uma expansão dos aeroportos será atrasos de voos, terminais lotados, falta de vagas de estacionamentos e filas para fazer check-in e pegar táxis no fim de ano, segundo especialistas consultados pelo iG.

A expectativa da Anac é que os aeroportos recebam 14 milhões de passageiros em dezembro, 8 milhões apenas entre o Natal e o Ano Novo. Em dezembro do ano passado, 11,5 milhões de pessoas embarcaram ou desembarcaram nos aeroportos brasileiros, 21,7% menos do que a projeção para este ano. Entre janeiro e outubro, a demanda por voos domésticos cresceu 25%, de acordo com a agência reguladora.

O único avanço significativo na infraestrutura aeroportuária entre 2009 e 2010 foi a instalação do módulo operacional no aeroporto de Brasília, que trará mais conforto para os passageiros que aguardam o embarque.

Mas será só na sala de embarque. Brasília também terá problemas de atrasos e falta de estacionamento”, diz Allemander Pereira, ex-diretor da Anac.

Para tentar prevenir um caos aéreo no fim de ano, a Anac convocou nesta segunda-feira os executivos das seis maiores empresas aéreas do país – TAM, Gol, Azul, Trip, Webjet e Avianca - para definir um plano para o fim de ano, que inclui a manutenção de 17 aeronaves reservas nos aeroportos, a proibição do overbooking (venda de mais passagens do que o número de assentos) e a contratação de funcionários temporários.

Para o sócio-executivo da Aviation Management Consulting, Nelson Riet, os problemas são inevitáveis. “As medidas da Anac são um quebra-galho, mas não resolvem o problema. Os aeroportos já estavam no limite no ano passado e agora vão receber mais gente”, afirma.

Se o tempo estiver favorável para a aviação, os passageiros enfrentarão atrasos leves e terão o desconforto da superlotação, mas quase todos conseguirão embarcar, de acordo com Pereira. Mas, se as condições meteorológicas provocarem o fechamento dos principais aeroportos, atrasos graves devem acontecer e alguns passageiros não conseguirão pegar os voos para passar as festas de fim de ano no destino planejado, diz o especialista. “A malha de voos está no limite e sobre pouco espaço para reposição de atrasos neste período”, diz.

Do lado de fora do aeroporto, os passageiros também devem enfrentar problemas. Nos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, a expectativa dos especialistas é que faltem vagas de estacionamento e os passageiros tenham que pegar filas para entrar no táxi. A melhor solução neste caso é conectar os aeroportos com o sistema de metrô da cidade.

Projeção subestimada

Para o ex-diretor da Anac as estimativas oficiais estão subestimadas. A expectativa dele é que 16 milhões de pessoas viagem de avião em dezembro, 10 milhões na segunda quinzena do mês. “A média de embarques mensais no ano é de 12,5 milhões. Em dezembro, esse número será muito maior”, afirma. O aumento do emprego e da renda da população, o real valorizado e a expansão do crédito aquecem o setor aéreo.

As companhias aéreas não divulgam quantos bilhetes já venderam, mas estimativas de aumento das operações. A TAM espera uma alta de 22% na demanda por voos domésticos e 15% para internacionais. A Webjet prevê uma demanda 40% maior no fim de ano e, a Azul, 7%. Procurada, a Gol não se manifestou até o fechamento desta edição.

A TAM e a Webjet informaram que não praticam overbooking. A Azul e a Gol não se manifestaram sobre o tema. Para os especialistas, a venda de passagens acima da oferta de assentos ocorre entre as companhias brasileiras, mas não é freqüente. “As taxas de ocupação dos voos estão longe de 100% e não apontam para isso”, diz Riet. O ex-diretor da Anac afirma que, no fim de ano, as empresas sabem que os passageiros não vão deixar de embarcar e, por isso, evitam a prática.

Aeronaves reserva

A manutenção de aeronaves reserva pode, efetivamente, minimizar os atrasos de voos. Hoje, se uma aeronave atrasar, todos os voos seguintes previstos para o mesmo avião serão adiados ou cancelados. Para Reit, as aeronaves extras podem evitar uma reação em cadeia de atrasos de voos nos diferentes aeroportos. “As companhias deveriam sempre ter aeronaves extra, mas com esta tendência de redução de custos, elas não querem deixar os aviões parados”, diz.

A Webjet vai manter duas aeronaves reserva, que serão aviões novos incorporados à frota da companhia. A Azul já mantém uma aeronave extra no aeroporto de Viracopos para eventuais substituições. A TAM desloca todo mês cerca de cinco aeronaves para a manutenção na segunda quinzena, mas vai antecipar o procedimento para liberar as aeronaves para atender a exigência da Anac. A empresa também pode deslocar para este fim aviões que operam rotas internacionais.

Plano emergencial

Enquanto não há uma expansão da infraestrutura aeroportuária, a solução é a criação de um projeto emergencial. O ex-diretor da Anac defende que sejam definidas medidas mais pontuais para situações extremas, como um plano de procedimentos para a quebra de aeronaves na pista ou para a queda do sistema de check-in.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Apenas 60% do Terminal 3 de Guarulhos estará pronto na Copa


RIO - A Infraero espera finalizar em 2011 a instalação de dois módulos (estrutura provisória) no aeroporto de Guarulhos para elevar a capacidade de operação do aeroporto, antes das obras de construção do Terminal 3, que só ficarão prontas depois da Copa do Mundo de 2014.

O diretor de operações da estatal, João Jordão, afirmou que as duas unidades darão a Guarulhos uma capacidade extra de 6 milhões de passageiros, mas frisou que, para a Copa do Mundo de 2014, será necessário contar com parte da obra do Terminal 3.

"O planejamento foi feito com base nos dados de demanda e o Terminal 3 de Guarulhos vai estar com 60% da obra pronta [por ocasião da Copa], o suficiente para a Copa e a Olimpíada", disse Jordão, que participou de reunião na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para definição do plano de atuação para evitar colapsos nos aeroportos no fim do ano.

Quando finalizado, o Terminal 3 terá capacidade para 15 milhões de passageiros, mas Jordão disse que, em 2014, somente 60% dele estará finalizado, o que permitirá atender 9 milhões de passageiros.

Em relação aos módulos instalados, Jordão afirmou que eles não serão suficientes para a atender a demanda da Copa, mas apenas para garantir o atendimento dos passageiros até o Terminal 3 estar pronto. Além dos módulos no aeroporto de São Paulo, a Infraero está instalando unidades semelhantes em Vitória, Goiânia, Cuiabá, Confins, Campinas, Imperatriz, Juazeiro, Teresina e Macapá. Em Brasília e Florianópolis já há módulos instalados. Até o fim de 2011, segundo Jordão, todos estarão instalados.

"Os módulos não garantem a demanda para Copa, garantem a demanda atual. Estamos construindo módulos enquanto as obras seguem", frisou Jordão, que negou qualquer possibilidade de problemas de excesso de demanda para os próximos anos ou para a Copa de 2014.

Jordão confirmou que o Tribunal de Contas da União (TCU) havia obrigado a paralisação das obras em Guarulhos, que já puderam ser reiniciadas. "Estamos com o Exército. Fizemos um convênio para que eles possam fazer as obras", disse Jordão, que negou ter havido falta de planejamento.

Questionado sobre a velocidade dos trabalhos, Jordão lembrou que as obras demandam tempo e que é necessário conversar com as empresas aéreas, que não param as operações.

"São obras que levam até oito meses e tem que haver planejamento, porque as empresas já venderam essas passagens e nós temos que sair desse período de alta estação", disse Jordão.

Cresce o número de brasileiros que deixam o país


Um relatório com base nos dados da Agência Nacional de Aviação (Anac) mostra que o êxodo de brasileiros para o exterior voltou a ganhar força em 2009, após cair em 2008, e atingiu o maior nível da década.

No ano passado, o número de passageiros que entraram e saíram do Brasil por via aérea apontou para uma saída líquida de 90 mil pessoas. O recorde anterior ocorreu no fechamento da década passada - em 2000 -, quando 118,6 mil deixaram o país. O principal destino dos brasileiros que tentam a vida no exterior é a União Europeia, seguida por EUA e Japão. Em 2008, ano em que a crise foi mais sentida nos países ricos, o país registrou a volta de pelo menos 30 mil pessoas.

Tam realiza primeiro voo com biocombustível da América Latina

O presidente da Tam, Líbano Barroso, saiu mais cedo da coletiva de imprensa da Anac e das companhias aéreas na tarde dessa segunda-feira (22/11) para participar da cerimônia de lançamento do primeiro voo com utilização de biocombustível da América Latina.

A aeronave, um Airbus A320, decolará do Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, no Rio de Janeiro, retornando ao mesmo aeroporto depois de 45 minutos. O teste de hoje faz parte de um projeto para reduzir as emissões de gás carbônico nos voos da companhia aérea.

Azul anuncia plano de atendimento para alta temporada

A Azul preparou um plano de atendimento especial devido ao aumento da demanda de passageiros no período da alta temporada, em todos os aeroportos em que opera. O planejamento inclui a contratação de mais de 200 pessoas, entre elas, 94 novos agentes de aeroportos para atuar na linha de frente com os clientes e 126 atendentes da Azul Center - o que representa aumento de 30% do quadro da central de atendimento da Azul.

Também está previsto o reforço das equipes de manutenção de aeronaves e de handling (serviços de auxílio aos passageiros e às aeronaves em terra). A Azul adquiriu mais um ambulift (espécie de elevador para cadeirantes) para o aeroporto de Viracopos, em Campinas - totalizando dois disponíveis, e seis novas cadeiras-robô que serão distribuídas entre as bases de Campinas (SP), Brasília (DF), Santos Dumont (RJ), Porto Alegre (RS), Maringá (PR) e Teresina (PI).

Também em Viracopos, a compnhia terá uma aeronave extra para atender eventuais reprogramações. Durante o período, a companhia irá operar 26 aeronaves, sendo 10 modelo Embraer 190, com capacidade para 106 passageiros e 16 modelo Embraer 195, para até 118 passageiros.

Atualmente a Azul mantém uma taxa média de 82% de ocupação -a mais elevada taxa do mercado doméstico – e estima um crescimento de 7% durante a alta temporada, alcançando cerca de 90% dos assentos ocupados.

Obras a partir de junho de 2011


A previsão para o início das obras no aeroporto internacional Pinto Martins, em Fortaleza, é junho de 2011. O projeto de ampliação gira em torno de R$ 267 milhões e inclui o recapeamento total da pista de pouso e decolagem, a interligação dos pátios de aeronaves, a ampliação do estacionamento, a reforma do terminal de passageiros 1 e a construção do terminal 2.

No cronograma da Infraero, o projeto básico de ampliação do terminal (orçado em R$ 5,72 milhões) ficará pronto no começo do próximo mês. E segundo o secretário do Turismo do Estado, Bismarck Maia, a licitação será imediata. Segundo a Infraero, todas as ações devem ser executadas até dezembro de 2013 (o terminal 2 será entregue com 35% da capacidade).

Com as obras, o Pinto Martins terá capacidade para receber 8 milhões de passageiros/ano (hoje é de 3 milhões, para uma demanda de 3,5 milhões/ano).

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

TRIP lança voo Salvador-Belém sem escalas

O horário de saída de Salvador é 23h55 e a chegada em Belém às 2h30 da manhã

A TRIP Linhas Aéreas começa a operar nos proximos dias uma nova rota, que ligará Manaus, Belém, Salvador e Belo Horizonte. Será o primeiro voo a conectar a capital baiana à capital do Pará sem escalas. O voo entre as duas cidades será operado todos os dias, com exceção dos sábados. O horário de saída de Salvador é 23h55 e a chegada em Belém às 2h30 da manhã.

A TRIP anunciou também que está com tarifas promocionais de lançamento. O voo para Belém e Manaus custa R$ 199,90 e para Belo Horizonte, R$ 99,90. A linha usará o avião Embraer 175 com capacidade para 86 lugares. A TRIP opera na Bahia desde 2008 e hoje atende cinco cidades no estado -Salvador, Lençóis, Vitória da Conquista, Porto Seguro e Ilhéus.

Noar amplia malha e inclui Paulo Afonso na lista de destinos

Salvador - Com cinco meses de operação, a Noar Linhas Aéreas avança no objetivo de ligar os grandes centros do Nordeste. A cidade de Paulo Afonso, a 434 km de Salvador (BA) e famosa por suas cachoeiras e reservas ambientais, é o novo destino da companhia pernambucana. Com isso, a partir do dia 29 de novembro, a Noar acrescenta mais uma cidade à sua malha aérea, que já incluía as cidades do Recife, Caruaru, Maceió, Aracaju, João Pessoa, Natal e Mossoró. O voo para Paulo Afonso sai às 9h da capital pernambucana, faz escala em Maceió às 9h50 e chega às 11h20 (horário de Recife) na cidade baiana.

Além do novo destino, a Noar vai oferecer mais um voo diário para Maceió, a partir do dia 22. “Com isso, chegamos mais perto do objetivo de elevar a frequência de voos para nossos destinos. Agora serão cinco voos diários Recife-Maceió”, afirma Marjony Camelo, diretor executivo da empresa. O voo segue horário local e sai da capital pernambucana às 9h com chegada prevista em Maceió às 9h50. À tarde, o avião decola de Alagoas às 13h15 e aterrissa no Recife, às 14h05.

As passagens para os trechos Recife/Paulo Afonso, Paulo Afonso/Recife já estão disponíveis e custam a partir de R$ 199,90. O trecho Recife/Maceió e Maceió/Recife custa a partir de R$ 99,90. Já o trecho Maceió/Paulo Afonso e Paulo Afonso/Maceió custa a partir de R$ 129,90. Mais informações pelo site da empresa www.voenoar.com.br ou pelo telefone: (81) 0800 601 2999.

Tam anuncia três novos voos internacionais durante Festival

A Tam Linhas Aéreas participa do Festival de Turismo de Gramado, de 18 a 21 de novembro, e apresenta novidades em serviços e ampliação de sua malha aérea. Com cinco novos voos internacionais no ano e acordos de codeshare, a companhia aumenta as opções de conectividades dos passageiros.

Em dezembro serão novos voos para Miami, a partir de Brasília e Belo Horizonte, começarão a operar nos dias 1º e 2, respectivamente. Serão quatro frequências por semana a partir da capital federal (segundas, quartas, sextas-feiras e domingos) e três a partir do aeroporto de Confins (terças, quintas-feiras e sábados), operadas por um Boeing 767-300 configurado em duas classes de serviço (econômica e executiva). As passagens já estão disponíveis para venda para estes dois novos trechos.

"O mercado de aviação brasileiro e a Tam vivem um momento de expansão, e o Festival de Turismo de Gramado é uma ocasião valiosa para ampliarmos contatos e negociações com profissionais do setor em uma região do país importante para nossa companhia, forte tanto em viagens de negócios quanto de lazer", diz Klaus Kühnast, diretor de Vendas da Tam.

Atualmente, a Tam opera diretamente voos para sete destinos na Região Sul do país: Curitiba, Foz do Iguaçu e Londrina, no Paraná; Florianópolis, Joinville e Navegantes, em Santa Catarina; e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A companhia atende ainda outras 12 cidades do Sul do Brasil por meio de parcerias com outras empresas.

TAM Cargo inicia operações no novo terminal de Petrolina

Instalações podem armazenar até 5 toneladas por dia

A TAM Cargo, unidade de cargas da TAM Linhas Aéreas, inicia na próxima segunda-feira a operação de seu novo terminal de cargas domésticas em Petrolina, Pernambuco. As instalações, localizadas a 7 km do Aeroporto Internacional Senador Nilo Coelho, ocupam uma área total de 400m² e têm capacidade para armazenar até 5 toneladas de carga por dia. O horário de atendimento é das 8h às 19h, de segunda a sexta-feira, e das 8h às 12h, aos sábados.

— Os clientes terão maior conforto com a infraestrutura do novo terminal, que é capaz de prestar atendimento diferenciado e está completamente adaptado para pessoas com deficiência. Além disso, passamos a oferecer mais uma opção para envio e recepção de cargas dentro de Pernambuco e no Nordeste, região estratégica para nosso negócio — declara o diretor de Cargas da TAM, Carlos Amodeo.

O envio de encomendas utiliza a moderna tecnologia de tracking, que permite à TAM Cargo e ao cliente acompanhar os trâmites do transporte em tempo real. O rastreamento é feito a partir de informações captadas por meio de um sistema de leitores ópticos de códigos de barras, que indicam a localização do volume. Em seguida, os dados são transmitidos à rede da empresa, com tecnologia wireless, e podem ser acessados no site da TAM Cargo.

Anac teme novo caos aéreo no país

Com a proximidade das férias de fim de ano e, consequentemente, o aumento do movimento nos aeroportos do país, a Anac decidiu marcar para hoje uma reunião de emergência com diretores da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), técnicos da Receita Federal e do Departamento de Constrole do Espaço Aéreo.

O encontro terá como objetivo acertar detalhes da operação que será montada nos terminais aéreos para minimizar os transtornos causados pelo aumento de passageiros.

Os diretores da Anac irão alertar todos os presentes, incluindo os representantes das empresas aéreas, que tudo deve ser feito para evitar um novo apagão, como o ocorrido entre 2007 e 2008.

No encontro, o órgão irá destacar três pontos: a falta de estrutura dos aeroportos para receber novos usuários, a venda de passagens além da capacidade das empresas e o grande fluxo de passageiros estreantes, que necessitam de ajuda para o embarque e o desembarque.

O governo irá questionar as empresas sobre a venda de passagens em voos extras antes mesmo da liberação das aeronaves. Segundo a Anac, cerca de 10 mil bilhetes já foram vendidos por uma empresa, o que acionou o alerta do órgão federal.

TAM e Gol têm planos de ação contra apagão

As duas maiores empresas aéreas do País apresentam, na reunião de hoje da Anac, estratégias para atender movimento intenso no fim do ano

As duas principais companhias aéreas do País - TAM e Gol - afirmam estar preparadas para atender o aumento de 20% do tráfego de passageiros previsto para o fim do ano em comparação com 2009.

A presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Vieira, convocou para hoje uma reunião com as empresas, Infraero, Polícia Federal, Receita Federal e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) exatamente para discutir um plano para evitar problemas nos aeroportos.

Alberto Fajerman, diretor de relações institucionais da Gol, não espera enfrentar grandes dificuldades. "É claro que, com a concentração de passageiros, haverá mais fila. Mas o feriado de 12 de outubro foi o nosso grande teste: atingimos o recorde de 127 mil passageiros em um único dia e não tivemos problemas", diz. "Acreditamos que, no fim do ano, o número de passageiros não chegará a tudo isso."

Como parte da estratégia, a Gol deixará quatro aviões reserva de prontidão para diminuir atrasos em cascata no caso de mau tempo e fechamento de aeroportos. Ao mesmo tempo, a empresa organizou a escala de funcionários de modo que a maioria possível esteja trabalhando. Normalmente, 9% do quadro está ausente em férias. Nos dias de maior movimento, entre o Natal e o ano novo, a Gol espera ter apenas 4% de folga.

Fajerman explica que, como regra geral, o número de voos não aumenta abruptamente nas festas de fim de ano. O que acontece é o deslocamento de aviões das rotas usadas por passageiros de negócios para trechos de lazer, além do aumento da ocupação dos aviões.

Com o aeroporto mais cheio, é preciso que todos os serviços trabalhem em sincronia: do carregamento de bagagens à disponibilidade de ônibus para levar os passageiros dos terminais às aeronaves. Por isso, é necessário que, além das empresas, órgãos como Infraero e Polícia Federal trabalhem em esquema especial.

A TAM, maior empresa do País, afirma que começou a se planejar para o aumento do tráfego em julho. Foram criados planos de contingência para vários cenários. "Fizemos simulações para evitar danos ao sistema como um todo se chover no dia 23 e o aeroporto de Congonhas ficar fechado, por exemplo", diz Ruy Amparo, vice-presidente da operações da TAM.

Pacote. Os detalhes da estratégia serão definidos ao longo das semanas, diante dos resultados das previsões meteorológicas. O plano geral, que conta com mais de 70 pontos, entra em vigor no dia 1.º de dezembro e se estende até o carnaval.

A TAM informou que manterá 8 aviões na reserva para o caso de crises e adiantou a manutenção das aeronaves de modo que o maior número possível esteja voando. Os funcionários que trabalham nos aeroportos passarão por um esquema de rotação: aqueles que se dedicam aos voos de negócios devem reforçar as bases de voos de turismo a partir do dia 24 de dezembro.

Amparo afirma que esse tipo de planejamento é comum na empresa. Neste ano, porém, o trabalho se tornou mais complexo diante do aquecimento da economia e a ascensão da nova classe média. De um lado, a TAM deparou-se com questões como a alta oferta de empregos temporários - e o assédio a seus funcionários, como carregadores de malas. "Contratamos um número maior, já prevendo que muitos deles deixarão o posto para trabalhar em shopping centers, por exemplo", diz.

Em outra frente, a empresa criou um modelo especial de atenção aos passageiros da classe C para facilitar a movimentação dos passageiros menos acostumados ao ambiente dos aeroportos e evitar confusões. Na semana passada, deu-se início à distribuição de cartilhas nos aeroportos com explicações sobre como agir e um site com orientações semelhantes está no ar.

Overbooking. Além da preparação das empresas, o que a Anac vai discutir na reunião de hoje é a suposta venda de passagens acima da capacidade das companhias, o chamado overbooking. À vésperas do Natal de 2006, a TAM foi acusada pelo governo de exagerar nas vendas e ter contribuído para o apagão que parou os principais aeroportos.

PARA LEMBRAR

Caos aéreo expôs gargalos estruturais

O chamado caos aéreo teve início em setembro de 2006, quando um avião da Gol se chocou no ar com um jato da Embraer. A colisão causou a morte dos 154 passageiros e tripulantes da Gol. O acidente foi atribuído a falhas dos controladores de voo. Na sequência, o tráfego nos aeroportos passou mais de um ano imerso em uma série de confusões, o que provocou a demissão de Waldir Pires do Ministério da Defesa.

Número de desembarques pode crescer até 34% durante a temporada em Florianópolis

Com a intenção de tentar prevenir um caos nos aeroportos do país em dezembro, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), convocou para esta segunda-feira uma reunião com os presidentes das principais companhias aéreas. Tarefa complicada, já que só em Florianópolis o número de desembarques durante a alta temporada deve crescer entre 30% e 34% com relação ao ano anterior.

A agência se preocupa com a venda de passagens além da capacidade de voos programados para o fim de ano e com a falta de pessoal para atender passageiros que desconheçam os procedimentos de embarque e desembarque.

Representantes da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Polícia Federal, Receita Federal e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) também devem estar presentes na reunião.

A assessoria de imprensa da Infraero em Florianópolis informou que a instituição só se pronunciará sobre possíveis medidas a serem adotadas no Aeroporto Internacional de Florianópolis após a reunião desta segunda-feira.

Mas o secretário de Turismo da cidade, Homero Gomes, já destaca que a Infraero havia previsto incremento de 30% a 34% no número de desembarques no aeroporto da Capital durante o verão. Com isso, a cidade tem o mais movimentado aeroporto do Sul do Brasil durante a alta temporada.

Para Gomes é importante que a Infraero cumpra suas obrigações e que a Anac fiscalize, pois o caos aéreo é causado especialmente em virtude da sobrecarga dos aeroportos de São Paulo, que acabam atingindo os demais destinos do país num efeito bola de neve.

— A secretaria municipal de turismo não tem poder fiscalizador sobre a Infraero, então nos resta torcer para que eles cumpram as obrigações que lhe são cabíveis, destaca.

A expectativa em Florianópolis é de aumento no número de visitantes de 15% a 30% durante o verão com relação ao ano passado.

Para o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), Eduardo Loch, isso só demonstra a precariedade da estrutura aeroportuária no Brasil:

— Faz muito tempo que as autoridades federias sabem que estamos muito próximos de ter um apagão aéreo. Daqui a quatro anos teremos Copa do Mundo e o país se comprometeu principalmente na ampliação dos aeroportos.

O que mais preocupa Loch é a qualificação dos profissionais que trabalham dentro do aeroporto. Segundo ele, essas pessoas precisam entender completamente o funcionamento do aeroporto e ter resolução para diversas situações para tentar impedir, por exemplo, que os atrasos em Florianópolis se reflitam em outros destinos como ocorre